10 de janeiro de 2017

Ideias pré estabelecidas.

Estamos vivendo em um mundo em que as pessoas não ouvem. Elas pensam, e pensam muito... Está faltando ouvir e sentir...Falar e pensar é absolutamente fácil, e dentro de algumas há uma preguiça enorme de ouvir. Elas mal ouvem e já dentro de suas cabeças estão as ideias pré estabelecidas, os rótulos, os ideais e muitas vezes acredite: Nem é aquilo que realmente pensam. Se apegam em crenças do passado, em coisas que ouviram, viram, leram, e jamais se apegam à um sentir e ouvir, e tentar pensar por si só.

Outro dia eu falei algo e a pessoa dentro da mente dela já achava algo, e ela mesma completou a frase - e sei que na maioria das vezes as pessoas querem mesmo encurtar conversas e encaixotar em sua mente aquilo que elas querem. Eu, terminei a frase que era o oposto do que ela completou, aí pensei comigo: As pessoas não ouvem, elas são surdas, elas falam, querem ser ouvidas, aceitas em suas ideias, mas não querem sentir nem ouvir. Há uma alienação em outra parte da sociedade em que exterminaram as conversas e os sentimentos grudados a um celular, e por aí vai a imbecilidade humana.

Precisamos sim de tecnologia, eu não vou ser hipócrita a dizer que não pois preciso dela pra escrever nos nossos blogs. Mas acho cansativo e me esgota o fato de apenas pensar em ser escrava dessa grande massa em que tudo se compartilha, tudo se conta, e nada se diz. Acho que é válido usar tudo para o seu bem e para o bem dos outros, e também acho que se as pessoas querem viver assim, ótimo para elas. Mas eu não me encaixo nisso, sou avessa a aplicativos de conversas, sei lá, eu sou prática pra mim a utilidade é outra. Me cansa aquele abarrotado de mensagens. Pra mim seria só pra saber se está tudo bem ou uma necessidade de um recado rápido.

Veja bem, não estou condenando! Cada um sabe de si. Apenas não me encaixo na maioria. Quando conheci a internet existia conversa por e-mail e isso hoje é fora de moda, brega, antigo e tal. Hoje se eu mando um e-mail, uma mensagem as pessoas sequer leem, e quando leem nem respondem. Até as postagens que coloco em minha rede social uma ou duas leem porque para elas é importante. A maioria compartilha sem ler, curte sem sequer clicar no link da postagem. Hoje, as pessoas estão preguiçosas, e o que elas leem são aqueles cartões com algo escrito com ou sem imagem. As comunidades do facebook viraram uma coisa só, sem novidade, sem toque pessoal, tudo automatizado e cópias umas das outras.

Está faltando originalidade, ouvidos atentos, palavras sentimentais, entendimento, compreensão... Está faltando as pessoas se colocarem mais na posição de platéia do que apresentador, pois apresentar a própria vida e querer todos holofotes voltados pra si é fácil. Quero ver é ir para a plateia e aguentar aplaudir alguém que esteja no auge do sucesso ou ir lá correndo abraçar vendo derramar suas lágrimas. As pessoas rotulam mesmo com suas ideias que rotulam os outros, e afirmam quando veem pessoas felizes com aquela cara de nojo: Tá vendo? Metido(a)! E quando a pessoa está na pior com aquela cara sem paciência: Tá vendo? O depressivo! E a verdade que não quer calar é que as pessoas só sabem criticar todo mundo e ninguém tem capacidade de ajudar, se colocar no lugar do outro ou comemorar a conquista do próximo. E depois vem me dizer que acredita em Deus. Quem é o seu próximo mesmo? 

Vamos parar de julgar, e com achismos bobos em relação às Pessoas com Necessidades Especiais por exemplo. Não pode falar algo de bom? Então não fale nada! Não pode ouvir e sentir? Então também não ache e nem pense o pior. Acredito também que as pessoas fazem e falam aquilo que seu coração está cheio. Ao mesmo tempo que ouço coisas negativas, tenho muito mais ouvidos para as positivas, espaço para pessoas que acrescentam.

Na hora de ajudar ninguém aparece...Então, não deixe o mundo negativo dos outros invadir o seu.

(Adriana Silva)

Nenhum comentário:

Postar um comentário