1 de agosto de 2016

Quando tudo parece estar perdido...

Semana retrasada, estava eu muito preocupada com as dificuldades financeiras que temos atravessado não muito diferente do que a maioria dos Brasileiros andam passando com a crise, mas vamos sobrevivendo. Mais preocupante ainda pelo fato de termos uma filha que necessita de cuidados especiais, e que sempre conseguimos arcar com todas as despesas com ela sozinhos. Mas do ano passado pra cá as coisas apertaram, e no ano passado ainda tinha os "bicos" que meu marido fazia, e isso ajudava muito.Esse ano a coisa minguou de tal forma, que começamos a ficar sem o básico do básico para que não respingasse nela. As despesas maiores são com Suplemento, fralda, medicamentos tarja preta, pois os de hipertensão e tratamento hormonal consigo pegar na farmácia do hospital onde ela passa. Não muito diferente é a situação da maioria das mães, pais, familiares que buscam os direitos dos seus filhos, mas nunca são amparados todos os meses. As pessoas se esquecem que as despesas são todos os meses e não um ou outro quando eles lembram de disponibilizar o que eles precisam. Aqui, graças a Deus a coisa apesar de apertada, tive ajudas da minha mãe, pai, irmã, comadre, cunhada, amigos, que sempre que podem estão ajudando. É pobre ajudando pobre. E eu seria extremamente pobre de espírito se não agradece... Seria mais ainda se não tivesse a minha filha.

Mas... comecei entrar em desespero. Meu marido trabalha, mas pagamos aluguel. Nossas contas são básicas: Água, Luz, e Internet (coloquei popular para não ficar sem e consigo fazer as coisas do mesmo jeito nos blogs). E não estava sobrando nada. Daí vi as coisas acabando. Comecei a ficar doente, de cama, resultado do meu stress, abatimento, cansaço, pois já não bastam as lutas, correria, dedicação entramos em um perrengue sem fim! Perguntei a Deus se ele não estava vendo isso, que estava cansada... Que só as pessoas ruins, que fazem maldade se dão bem, que parece que tudo de ruim está caindo sobre a gente. E o que a gente fez pra merecer isso? Não fazemos mal a ninguém! E ainda pessoas puxando o tapete, querendo se dar bem, e fazendo o que quer.
No dia seguinte, recebi uma ajuda inesperada! Fiquei em choque, não sabia o que pensar, o que achar. Não pedi ajuda e ela veio de duas pessoas muito queridas e amigas e eu faria o mesmo por elas. No outro dia outra ajuda, e mais doações de fralda, suplemento, leite e cereal pra colocar no leite. Foi um alívio tão grande, e depois de muito tempo consegui ir ao mercado comprar o básico que estava faltando, comprar as medicações da minha filha. Pensei: Poxa, vou respirar aliviada esse mês! Ela só tinha 1 caixinha de leite e chegaram essas coisas!

Mas poderia não ser assim. A minha filha poderia de fato ter ajuda do Governo todos os meses se não fosse a tamanha roubalheira. Conheço pessoas que os filhos precisam de ajuda pra dieta por sonda e nem isso elas conseguem, então uma mãe ajuda a outra. Fico pensando: E no outro mês? Vou ficar dependendo das pessoas? Elas não são obrigadas!
Senti um misto de alegria quando recebi as coisas e impotência. Fiquei sem graça, porque eu é que gostaria de estar ajudando pessoas! Mas muitas vezes a gente passa por coisas na vida que não queremos, e mesmo assim, o amor nunca falta. Meu marido até me disse: Lembra que aquele dia você disse que parecia que Deus não estava vendo as coisas? Então, agora ELE te deu a resposta. ELE está o tempo todo com você, e usa as pessoas para agir. 
Muitas situações na nossa vida são o fundo do poço, são desesperadoras, aquele último momento quando tudo parece estar perdido. A única coisa que quero é ter saúde para cuidar da minha filha, que ela seja feliz e que nunca falte, e desejo isso à todas as pessoas. Que Deus sempre envie um anjo naquele momento de aflição para socorrer. Muitas vezes a dor nos paralisa, nos dói de uma tal forma que não conseguimos enxergar as coisas com tanta fé nem positivismo, e somos humanos, falhos, vemos as coisas parecerem não ter solução. Espero de coração que a situação do nosso País mude. Que as pessoas mudem e pensem mais no próximo. Que os que detém o poder consigam olhar para os necessitados e eles possam ter dignidade para viver. 

Dou valor a tudo, pois tive várias situações na minha vida em que vi a precariedade dela, e só tenho gratidão para com aqueles que estenderam as mãos quando mais precisamos. Espero de coração que receba em dobro em forma de felicidade, amor e paz, e que da mesma forma que nos abraçou e nos amparou nunca falte nada às suas mesas!

Gratidão,

(Adriana Silva)

Nenhum comentário:

Postar um comentário