13 de maio de 2016

Certas abordagens ...


- Coitadinho (a)!
- Você que é a mãe da criança doentinha?
- Qual é a doença dele(a)?
- Ele(a) vai melhorar?
- Você deve sofrer, sinto muito!
- Que pena, tão lindo (a) na cadeira de rodas!
- Ah, ele (a) mexe os braços!

Com sinceridade? Nem ligo! Muitas pessoas se aproximam para nos consolar e jamais vamos nos vitimizar diante de nada, nem nos colocar em posição de coitadinhos. Quando algumas se permitem conversar comigo ouvem uma bela lição de vida que a minha filha é!
Não conseguiremos evitar certos tipos de comentários e abordagens. Isso sempre irá ocorrer e a diferença é a forma que tratamos nossos filhos. Acho que se perceberem que há amor acima de qualquer coisa e que não importa o que elas pensem ou digam, que entre nós sempre existirá amor e respeito talvez se portem diferente, e ações valem mais do que palavras, porque muitos só ouvem o que querem ouvir.
Talvez o comportamento que temos com os nossos filhos lhes ensinem alguma coisa. Que o amor é mais forte do que qualquer piedade que possam ter. Não somos vítimas, nem coitados, nem doentes. Somos pessoas sobre rodas e nós mães somos as grandes condutoras deles. São campeões em tudo que eles quiserem!

(Adriana Silva)

Nenhum comentário:

Postar um comentário