22 de fevereiro de 2016

As limitações de uma mãe especial

Eu acho que pra uma mãe o mais difícil não é apenas lidar com as rotinas e a dedicação total ao se filho especial.
O mais difícil é você sentir que os anos vão passando e vai adquirindo suas limitações pois de tanto cuidar do seu filho algumas coisas vão aparecendo.

Como lidar com suas próprias limitações? Como não se cobrar sabendo que você poderia estar melhor, e não tem tempo às vezes pra se cuidar como gostaria?
Hoje eu estava sentada aguardando a consulta da Jaque e pensando nisso.


O que faço por mim é pouco, graças a Deus a minha dedicação tem retorno porque ela está bem apesar das rotinas e exames médicos, das coisas que apareceram e eu sabia que poderiam aparecer. Muitas vezes ainda me cobro e me culpo que poderia ser melhor e fazer mais.

Nós mães literalmente andamos no limite. Muitas vezes andamos sobre uma corda bamba abraçando nossos filhos. Mas eu sempre sou grata por todos os lugares que nos amparam e nos dão a direção. E agradeço muito ao amparo familiar que tenho, ao amparo do meu marido, da escola, do hospital, das pessoas, dos amigos. O que me dá a certeza que estou fazendo certo é ver a minha filha bem! Pra mim é o que importa!

Hoje estava eu lá, tinha dormido apenas 3 horas essa noite porque fiquei fazendo relatórios pré consulta, montando planilha de dieta, organizando agenda, mala pra irmos. Estou com os pés inchados por causa de um medicamento de estômago que estou tomando e nem sei como conseguia caminhar.
Tive momentos desesperadores na minha vida. Cheguei perto da morte, bem pertinho. Eu chorava porque o que seria da minha filha sem mim? Me sentia incapaz, fraca. Me sentia um lixo! Me sentia impotente e que eu não tinha o direito de ficar doente!


Desde 2009, não fui mais a mesma. Coisas apareceram em mim, e tenho que cuidar. Mas confesso, às vezes eu estou tão cansada que não tenho pique pra cuidar como eu até sei que merecia. 


Muitas pessoas falam: Ah, você é guerreira, é forte, Deus te capacita! Sim... Mas como toda e qualquer mulher tenho minhas fragilidades. Não faço das minhas dificuldades internas e externas uma lamentação ou uma história de dor. Quem acompanha minhas publicações sabe que desabafo, sabe que sempre procuro colocar tudo de uma forma positiva, porque é assim que eu encaro a vida! E sempre escrevo porque sei que muitas pessoas podem se identificar e acho que estamos nessa vida para dividir nossos pensamentos para multiplicar nossas ideias, somar nossas intimidades e dividir nossas experiências.

Sempre desafio os desafios. Sou uma pessoa que quanto mais luta eu tiver, mais teimosa eu vou ser.

Então pense nas suas fragilidades com amor. Tenha por elas a mesma consideração que tem em seus momentos de força. Porque amar o que é bom é fácil, quero ver é amar a si mesmo quando está devastado, deplorável, encardido e cansado.

Por isso, não perca tempo com mesquinharias. Siga a sua vida sendo o melhor para si. Pode estar se achando um pano de chão... Não faz mal! Até um pano de chão serve pra alguma coisa! 


Por isso , se ver uma mãe especial, não a ache uma super heroína! Ela é mulher, ela é rosa, ela é espinhos! Respeite todas as mães que dão a vida por seus filhos. A olhe com amor e respeito. A olhe como uma pessoa que tem que se superar todos os dias!

Adriana Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário