22 de fevereiro de 2016

Abordagens e nossas reações surgindo positivamente

Outro dia estava voltando com a Jaque da Neuro, daí uma menininha nos viu e disse para a mãe:
- Mãe, mãe! Olha a menininha ela tá dodói das perninhas!
A mãe disse toda sem jeito e puxando ela pra ela parar de falar:
- É sim filha, fica quietinha fica.
-Mas mãeee.... como é o nome dela? Ela é tão linda! A moça é a mãe?
- Não sei filha, para de perguntar!
Estava na mesma calçada, parei, abaixei e disse:
-Oi tudo bem? O nome dela é Jaqueline e o seu?
- O meu é Amanda! Você é a mamãe dela?
- Sim.
- Ela fala?
- Sim, mas ela não responde quando perguntam por isso resolvi responder a você.
- Ah, obrigada.... tá bom então! Adorei a tiara dela!
- Obrigada você menina linda! E abracei-a
E beijou a Jaque, e me deu um tchauzinho e soltou a última frase:
- Tudo de bom pra você viu princesa? Amo você!



A mãe dela toda sem graça porque algumas pessoas se sentem incomodadas com abordagens, e ela não esperava nem a minha reação e nem a da própria filha.

Fiquei pensando em como as coisas são tão simples, e como o amor ao próximo é a melhor saída. Quem sabe alguns adultos aprendam com essas atitudes das crianças. É só doar e receber amor. Nada mais! Nem todas as pessoas sabem ser generosas, mas reconheço que há muita ignorância também de ambas as partes.

Quem sabe algumas pessoas não se blindem tanto com seus filhos, e permitam que as outras crianças se aproximem, e expliquem à elas as coisas. Quem sabe esses futuros adultos seja a nossa esperança de que o nosso próximo só precisa de respeito!

Eu aprendi a informar as pessoas sobre a minha filha, faço isso com pessoas que realmente se importam e querem conhecê-la. Aos ignorantes viro as costas. Não me importo com olhares que não sabem amar. Porque amor não se ensina. Amor ou você tem ou não tem. E pronto.

(Adriana Silva)

Nenhum comentário:

Postar um comentário