29 de agosto de 2015

A incapacidade das pessoas de amar ou fazer as coisas com amor

Não sei se é estressante para alguns ser funcionário público, lidar com pacientes ou lidar com as pessoas. O fato é que falta amor na maioria de toda e qualquer pessoa!
Há situações que a gente até deixa pra lá senão acaba brigando com todo mundo.
Hoje quando estava no hospital para os exames da Jaque aconteceu o seguinte:
A funcionária me atende praticamente de costas pegando as fichas dela. (Antes de subir nós que levamos cadeirantes somos avisadas que devemos informar que eles são prioridade ao chegar lá em cima no setor de exames, daí os papéis são sinalizados com a cor vermelha).
Antes mesmo de eu avisar, ela se vira e vê que sou mãe de uma cadeirante. Não sei porque certo tipo de funcionário tem a mania de falar berrando e como se a gente fosse incapaz de entender o que eles estão falando:
- Quando for assim, a senhora avisa que é prioridade aqui pra mim, porque se vc não me falar ela não vai ser atendida como tal.
Eu disse: ok! E fui pra onde tinha que ir e não reclamei, mas fiquei morrendo de vergonha porque todo mundo fica olhando pra nossa cara como se eu fosse uma babaca que levou bronca da professora ou fez uma cretinice (me acostumei já a ser otária).

Daí enquanto esperava a minha filha ser chamada, fiquei num cantinho esperando. As pessoas passavam no corredor, (e tinha espaço), praticamente por cima da Jaque como se ela fosse um nada! Outra esbarrou na perninha dela, outro encostou de leve no apoio de braço, e sequer olhou ou pediu desculpas.
Afinal a gente que atrapalha. A gente que deve dar espaço aos outros passarem!
Era tão rápido que tudo acontecia que eu fiquei boquiaberta. Eu olhava na cara das pessoas, com cara de reprovação. Mas ando tão cansada, que se eu for brigar, eu acabo com o resto de paz e de paciência que tenho.

Um senhor que estava do meu lado, vendo uma médica passar, disse:
- Ei! Mais respeito! A tal continuou andando e disse rápido: Desculpa!
Ele conversando comigo disse: Olha mãezinha eu admiro vcs sabe? É de chorar vendo o ser humano.
Eu sorri e disse: Se eu disser ao senhor que estou acostumada, estou mentindo. Minha filha mesmo sendo cadeirante não me acho coitada.

Eu ajudo pessoas sempre que posso e isso é o mínimo que posso fazer como ser humano com toda educação que tenho e que recebi da minha mãe. Hoje mesmo tinha um senhor com um filho no colo e não conseguia pegar a senha. Fui lá e puxei pra ele. Não vejo essas atitudes nas pessoas. Nunca vou me acostumar com a indiferença delas. Isso dói. Mas lamento por elas.
O senhor disse: Essas pessoas nunca sabem o dia de amanhã.
Eu disse: Não acho que o mundo deve girar ao nosso redor. Mas definitivamente, as pessoas não sabem o que é amar. Não acho que o mundo conspira contra nós, encontramos almas generosas, amáveis e doces (raras), e é nisso que as pessoas se transformaram: Aquilo que elas fazem e mostram. Não adianta falar que é isso ou aquilo. O que as define são as atitudes e pronto!

(Adriana Silva)

Nenhum comentário:

Postar um comentário