24 de junho de 2015

Termos corretos e incorretos

Outro dia, eu li em um lugar, uma pessoa pedindo ajuda em uma página na internet. 
O mais curioso não foi isso. Porque isso a maioria das pessoas fazem quando conhecem alguém que necessita, e fazem isso em página de famosos por exemplo ou em páginas de grande visibilidade.
A pessoa dizia ser professora. E dizia assim: - Sou professora de um aluno com problema, e referia-se ao fato de ele estar em uma cadeira de rodas.
Perguntei-me: Será que é assim que aquela pessoa vê esse aluno? Isso é uma pena penso eu!
Por isso nunca diga que a pessoa tem problema por ser cadeirante ou alguma deficiência mental. O correto é: Pessoa com Deficiência ou Pessoa com Deficiência Mental.

Eu acho que errar é humano. Só acho que as pessoas poderiam deixar de usar alguns termos grosseiros. Ao mesmo tempo há o termo " Especial" . E como se sentir especial se o mundo não trata nossos filhos com esse diferencial? É meio contraditório. Até eu nem me refiro mais a minha filha como especial. Um dia vi uma palestra sobre isso, e era mais ou menos assim: Quando você rotula seu filho sendo especial, automaticamente coloca ele como mais do que as outras crianças ou pessoas. E pensando bem, todos nós somos especiais.

Não precisamos saber tudo nem os termos corretos, mas acho que delicadeza e amor são válidos. Se referir como o doentinho, ou criança com problema eu acho ridículo. Uma vez uma pessoa se referiu à minha filha como doente e eu disse: - Doente está lá no hospital! Nunca mais a pessoa a chamou assim. Que custa chamar as pessoas pelo nome? Pergunte o nome. E jamais trate nenhuma pessoa como se fosse um coitadinho. Está na hora de rever certos conceitos, atitudes e palavras, a sociedade de uma forma em geral. Entendo a vulnerabilidade e até a "ignorância " de algumas pessoas no sentido de não terem muita instrução, ou sequer saberem se portar. Penso que também não devemos nos doer com tudo, afinal a opinião das pessoas é a opinião das pessoas. Há coisas que até relevamos, e quantas vezes dei risada de certas coisas. Se a gente leva tudo a ferro e fogo, não vivemos. Ou viveremos brigando com todo mundo. Eu prefiro ainda viver em paz, e quando algo me incomoda ou está errado, fazer do meu jeito, e há coisas que sinceramente nem valem a pena!

Adriana