27 de março de 2015

O mundo não vai girar ao nosso redor só porque temos filhos cadeirantes!

Todos nós temos direitos. Mas todos nós devemos respeitar também. O que percebo é que muitas pessoas por terem filhos com Deficiência Física, acham que o mundo deve girar ao seu redor. Vejo ainda pessoas que querem respeito mas não respeitam o próximo, sendo ele até quem tenha alguma dificuldade igual ao que o filho tem, dependendo de uma cadeira de rodas. Acham que devem ocupar todo o espaço, porque acha que só ele tem, e os outros que se danem (sejam cadeirantes ou não). Esse tipo de comportamento, estou habituada a ver e acho típica de pessoa arrogante.

Não é assim! Eu procuro sempre respeitar as pessoas, procuro não atrapalhar, respeitar horários, respeitar tudo.Não é porque minha filha é cadeirante que eu deva esperar que todo mundo entenda e respeite. Sei que é dever das pessoas, mas infelizmente não é assim. Me deparo com todo tipo de pessoas, das mais compreensivas e educadas até as mais ignorantes e mal educadas. Mas se quero meus direitos, tenho que fazer minha parte certo? E sei que não vou ter de volta muitas vezes e é aí que devemos fazer alguma coisa!

Eu pego muito no pé do meu marido por exemplo, porque muitas vezes temos que tirar a cadeira do carro, montar pra colocar nossa filha, e ele ocupa o espaço todo e as pessoas precisam desviar pra passar. Tá certo que os espaços são mínimos e temos que nos virar, e que muitas pessoas se bobear passam por cima mesmo. Eu sempre falo: Vem mais pro cantinho! Ele diz: Quero que se dane, pela minha filha eu faço tudo!

Em uma ocasião, estava eu com ela em uma fila para entregar o papel de um exame que ela faria. Estava certinha na fila, minha filha na frente e eu atrás. A mulher ao invés de pedir licença ou passar por outro lugar, empurrou a cadeirinha da minha filha e passou como se nada tivesse acontecido. A funcionária que recolhia os papéis disse: - Ei! Vamos respeitar as pessoas! A mulher só olhou pra trás e as pessoas na fila ficaram indignadas e eu disse: Respeito? artigo de luxo! Por ironia, a pessoa teve que pegar a fila, só que ficou muito atrás. Tinha uma senhora atrás de mim que virou pra ela e disse: Só espero que a senhora nunca precise um dia de uma cadeira viu? Mas Deus tá vendo! Vi a pessoa abaixando a cabeça e sequer olhei pra ela. A senhora que falou, disse que ela deveria me pedir desculpas, eu disse que nem esperava tal atitude, porque se ela nem com licença pediu, vai pedir desculpas?

Por fim, a cada dia, vamos nos deparar com situações novas, situações repetidas, de gentileza ou deselegância. Só que se queremos brigar por direitos devemos primeiro respeitar para sermos respeitados, e se não formos respeitados, teremos um belo trunfo pra juntar a nossa briga que é a nossa educação, que é entender o próximo. Agora fica difícil querer que o próximo seja gentil, se a arrogância predominar inclusive pessoas que nunca deveriam ser por terem um filho cadeirante não acha?

Não é porque temos nossas dificuldades que todo mundo à volta deva entender , e que por causa disso ocupemos todos os espaços por achar que o nosso é maior e que somos melhores do que todo mundo. Ainda assim, seja a dificuldade grande devemos sempre olhar para o próximo, porque muitas vezes o nosso comportamento vira um transtorno para quem não tem nada haver com o assunto. O mundo não para, o relógio corre, então devemos ter um bom senso de boa convivência , mesmo que nos deparamos todos os dias com a falta desse pensamento em quem quer que seja. Fazer a nossa parte é essencial!

(Adriana Silva)

22 de março de 2015

O Preconceito da pessoa que é preconceituosa consigo mesma.

Estou farta de ouvir algumas "ladainhas". Pessoas que se vitimizam com a bandeira do " Estou sofrendo preconceito" a todo momento ". 
Estamos em um País extremamente preconceituoso. Sim, temos que nos indignar, não devemos aceitar o preconceito com as Pessoas com Deficiência e lutar contra os maus tratos. E seja lá qual for o tipo de preconceito. 
Porém o que vejo muito ainda é que as próprias pessoas possuem isso consigo mesmas. Não aceitam seus filhos, ou o integrante da sua família, ou a qualquer pessoa em questão e querem lutar por qual igualdade?Qualquer olhada já acham coisa?  

Sabe o que é mais importante? É se aceitar. É amar. Se o outro não faz problema dele. Se houver desrespeito, aí sim, não devemos cruzar os braços. Mas se preocupar demais com os outros pra quê se algumas pessoas jamais vão mudar. 
Diferenças sempre vão existir. Se você se aceita, e aceita quem cuida, isso é o mais importante. Muitas vezes se incomodar demais com os de fora é se esquecer de quem está dentro. E os que estão conosco, na mesma luta, no mesmo ideal e sentimento é que verdadeiramente merece a nossa atenção. Algumas pessoas merecem ser ignoradas com tais ignorâncias, e se a gente parar a todo momento pra tentar mudar o outro, o tempo vai passar e é nós que nunca iremos mudar. Algumas coisas não tem concerto, devemos sim fazer a nossa parte e lutar por direitos. Porém há quem não valha a pena, e há momentos também que de tanto achar coisas vai achar pelo em ovo. 

(Adriana Silva)

Coitada? Doente?


Achei essa foto fantástica! Pois sempre ouvimos esse tipo de coisa, ou um elogio como forma de compensação.

1 de março de 2015

A realidade do atendimento prioritário em algumas situações.

Não quero aqui generalizar. Mas muitas vezes quando veem um cadeirante as pessoas tratam como eles fossem invisíveis.
E sabe o que me deixa triste e indignada? O jeito com que muitas pessoas tratam os cadeirantes nesse País, porque quando eu passo por algo e me sinto HUMILHADA, minha vontade é de sentar e chorar. Porque eu imagino quantas mãezinhas passam por coisas piores.... Ou igual. Muitos veem que precisamos ser atendidos e fingem que não nos veem, não dão atenção prioritária de fato , que vai muito além de você passar uma pessoa na frente por direito. É olhar pra essas pessoas como GENTE e olhar nos olhos.

Muitas vezes , temos de ter paciência, e em outras temos que reclamar para sermos vistos, ouvidos e atendidos, e ainda ouvir outras mães falando besteira e olhando pra mim e minha filha mas eu não ouvi calada.
A mulher disse: Não concordo que atendem os cadeirantes na frente e chegamos primeiro do que eles.
Eu disse à ela: Não é porque minha filha tem preferência que chego tarde. O que acontece é que o hospital mudou e hoje não somos mais atendidos por ordem de chegada e sim de horário. Então eu estou dentro do horário estipulado pela política do hospital, mas sempre chego bem antes, mesmo sabendo que vou ter de esperar. Agora, se você não concorda que cadeirante deva ter preferência  reclame na ouvidoria, porém te aviso que atendimento preferencial é lei... 

As pessoas não se sentam um dia em uma cadeira de rodas e tentam perceber como é o dia de um cadeirante. Só olham pro próprio umbigo, tropeçam, xingam a gente... Espero que nunca precise de uma cadeira pra se locomover ou dependa de ninguém pra cuidar da sua higiene pessoal.

A realidade do atendimento prioritário que nos fazem sentir que temos que implorar pra sermos atendidos, mas o fato é que não temos que implorar e temos direitos, portanto temos que reclamar se estivermos insatisfeitos sim!