3 de setembro de 2014

Sentimento de Impotência

Nós pais sempre convivemos com sentimentos de impotência. Quem nunca se sentiu assim? Vendo um filho doente, sentindo dor e tudo que mais queríamos é que ele não sinta isso?
Dizem que a dor ensina, nos mostra que somos humanos e nos amadurece. Mas não pensamos assim quando é com nossos pequeninos não é mesmo?

Quando eu escrevo alguns temas aqui, específicos sobre o mundo especial, ao mesmo tempo todos que são pais vão se identificar com determinadas frases e textos. Só que sentir-se impotente faz parte da vida. Nos mostra que não podemos tudo apesar de muitas vezes querer ser super-heróis, mágicos que desaparecem com a dor nos pequenos.

Eu quando vejo qualquer criança passando por alguma doença, ou estando doente me sinto assim. Como gostaria de arrancar deles essa dor e passá-las pra mim! Mexe muito comigo. Ao mesmo tempo sou muito forte e trato essas pessoas normalmente, com meu carinho e amor. Acho que a gente precisa se colocar no lugar do outro, ter compaixão e fazer algo sempre que puder. Muitas vezes achamos que a dor do outro não é da nossa conta e nem nos pertence! Acho isso um engano. Se o próximo é meu semelhante a dor dele me importa.

Muitas vezes, durante esperas de consulta da minha filha conversei com várias mães e vendo o desânimo delas tentei dar o meu melhor. Uma palavra ajuda muito, um incentivo, uma positividade, um afeto com a criança, um simples oi, um brincar, um afago diminuem nosso sentimento de impotência porque diretamente estamos ajudando alguém mesmo que essa pessoa de começo não consiga ser ajudado com essas atitudes. Quando vemos outros casos, paramos de olhar só pro nosso umbigo e acharmos que tudo é difícil. Eu não considero difícil. A rotina sim é exaustiva, mas olho pra trás e vejo o quanto já passamos e estamos aqui.

Nunca poderemos evitar o estado de inércia diante de algum obstáculo, mas poderemos sempre após isso nos tornar uma pessoa melhor. Poderemos nos ver mais humanos e olhar mais para as dificuldades dos outros com maior respeito. Infelizmente nem todas as pessoas pensam e agem assim, mas eu faço a minha parte mesmo que pequena e a vida tem me devolvido coisas boas também. Às vezes passamos por alguma dificuldade e vem alguém que nem conhecemos e nos ajuda. E quantas vezes fizemos isso achando que ninguém faria por nós? Quantas vezes fizemos e nos questionamos que as pessoas não valorizam nossos atos? 

Nosso erro é esperar coisas em troca. Com o tempo aprendi a simplesmente fazer. E sempre em alguma situação eu recebo coisas que nem esperava. Pessoas sendo ajudadas com o mesmo propósito em que ajudamos. Isso é o mais interessante. Claro que atravessamos por pessoas ingratas da mesma forma em que já fomos ingratos. Mas nessa vida temos que aceitar as nossas imperfeições e as das pessoas também. Não é uma tarefa fácil, assim como sempre o sentimento de impotência vai existir e poderemos sempre usá-lo para crescer, ser forte, nos solidarizar, amar mais, se colocar no lugar do próximo. Sempre penso que Deus sempre sabe o que faz e nós atravessamos nossas dificuldades achando que estamos sozinhos, mas ELE caminha ao nosso lado, só que temos que fazer muitas coisas sozinhos pois uma criança só aprende andar sozinha, mesmo que com auxílio, o esforço maior vai sempre partir dela.

Um abraço fraterno,
Adriana


Nenhum comentário:

Postar um comentário