26 de setembro de 2014

Abordagens Ignorantes - Tentativas de Evangelizar equivocadas (A saga continua)...

Uma mulher crente veio em minha direção quando eu estava no supermercado. Entregou um folhetinho e disse:
- Leva ela na igreja que Deus vai curar ela!

Eu fiquei sem ação. Achei ignorante demais essa abordagem. Não sabe o que minha filha passou, nem a história de vida dela pra julgar. Abordam como se fosse coitadinha e que tudo tem que ter uma explicação segundo o ponto de vista deles.
Não se aprofundam, não crescem, só olham pro que veem e não além. Não olham pro ser humano que ali está como condição divina, ficam com a bíblia debaixo do braço.
Não respondi. Estava cansada pois havíamos saído de uma consulta e passamos nesse supermercado.

Minha filha é maravilhosa. Sei as limitações dela. Sou realista. Mas a enxergo com o todo amor que tenho e com o meu coração. Isso pra mim é detalhe, e a amaria de qualquer jeito, incondicionalmente. Não guardo mágoas dessas abordagens porém quando ouço esse tipo de coisa, eu me orgulho de quem sou e a forma que encaro a minha filha.

Sinto pena de quem não tem capacidade de enxergar qualquer pessoa como ser humano só porque ele não anda, ou tem uma deficiência. Não precisamos ter que justificar nada, porque as pessoas sequer sabem da nossa história. Acho que se pensam que isso é evangelizar estão totalmente equivocados.

Ser Cristão não é ficar decorando a bíblia inteira. Uma pessoa crente geralmente é fanática, e esse tipo de pessoa é alienada e ignorante.Acredito em Deus e isso independe ir em uma igreja! A minha filha é a maior prova dos milagres de Deus. Acredito na ciência, nos médicos que são seres instruídos por Deus para nos auxiliar. Tento ao máximo praticar boas ações todos os dias aceitando minhas falhas e melhorando o que posso mudar. Somos falhos, mas aprendemos muito com esses erros. Muitas atitudes nossas correspondem a ação e reação ou causa e efeito. Tudo que recebemos das pessoas nos provocam uma reação, ou seja - tudo que faz tem um retorno. 

Não podemos classificar os seres humanos como perfeitos e com defeito. Todos nós somos obras divinas, e não devemos jamais ser rotulados e nem aceitar isso. Pessoas que acham isso tem uma visão errada do que é ser humano. Hoje os padrões de ser feliz, de beleza são equivocados. A beleza pra mim é olhar pra minha filha e ver Deus nos olhinhos dela. A gratidão que tem por viver. O amor que temos no nosso lar. As dificuldades que já passamos e não desfazemos o elo. A forma que ela é feliz, mesmo algumas pessoas achando que por estar em uma cadeira de rodas lhe falta algo. Engano das pessoas acharem que por alguma limitação o outro ser inferior. O que nos aproxima da realidade de ser humano é exatamente as nossas dificuldades. Então, o que falta no mundo de uma forma geral é o respeito, é olhar para cada um como pessoa, e não olhar e analisar os defeitos e assim julgá-lo como isso ou aquilo. 

Há muito o que se aprender, eu aprendo a cada dia com tudo: Coisas negativas e positivas. Quando recebo uma ignorância, uma falta de visão, amadurecimento, eu encaro positivamente porque eu agradeço muito por ter a melhor visão da minha filha. Se nossa missão aqui na Terra é ser feliz mesmo com todas as dificuldades e tristezas que passamos, e todas as lutas, acredito que se enxergamos as coisas simples e tirar disso a nossa felicidade entenderemos o sentido de existir e de Deus na nossa vida. Se temos amor, saúde, união, cumplicidade, amizade, respeito, humanidade temos tudo.

Então, se alguém julga seu filho, ou alguém da sua família ou que você conhece por essa pessoa ter alguma dificuldade ou não andar, e acha que falta algo pra ele, acredite que falta à essa pessoa que encara ele dessa maneira. Tudo nos ensina. E se as pessoas não abrem a mente, não olham para todos como ser humano, é porque infelizmente ainda não aprenderam olhar para si mesmo. Muitos ainda só sabem olhar a vida dos outros e nunca aceitam olhar pra si mesmos. A pessoa acha que evangeliza, mas fazer isso é colocar palavras de conforto em seus lábios e não derrubar os outros. Não julgar, e sim amar! E isso anda cada vez mais difícil nesse mundo. As pessoas oferecem apenas aquilo que o coração está cheio. E ouso dizer que possuir amor para com o próximo é raridade. Vejo ainda em poucos, e isso me encanta e me faz a não desacreditar do ser humano por completo.

Cristão é aquele que encara o próximo como ser humano, e se solidariza com ele. São práticas. E não falatórios. 


 Adriana