26 de setembro de 2014

Abordagens Ignorantes - Tentativas de Evangelizar equivocadas (A saga continua)...

Uma mulher crente veio em minha direção quando eu estava no supermercado. Entregou um folhetinho e disse:
- Leva ela na igreja que Deus vai curar ela!

Eu fiquei sem ação. Achei ignorante demais essa abordagem. Não sabe o que minha filha passou, nem a história de vida dela pra julgar. Abordam como se fosse coitadinha e que tudo tem que ter uma explicação segundo o ponto de vista deles.
Não se aprofundam, não crescem, só olham pro que veem e não além. Não olham pro ser humano que ali está como condição divina, ficam com a bíblia debaixo do braço.
Não respondi. Estava cansada pois havíamos saído de uma consulta e passamos nesse supermercado.

Minha filha é maravilhosa. Sei as limitações dela. Sou realista. Mas a enxergo com o todo amor que tenho e com o meu coração. Isso pra mim é detalhe, e a amaria de qualquer jeito, incondicionalmente. Não guardo mágoas dessas abordagens porém quando ouço esse tipo de coisa, eu me orgulho de quem sou e a forma que encaro a minha filha.

Sinto pena de quem não tem capacidade de enxergar qualquer pessoa como ser humano só porque ele não anda, ou tem uma deficiência. Não precisamos ter que justificar nada, porque as pessoas sequer sabem da nossa história. Acho que se pensam que isso é evangelizar estão totalmente equivocados.

Ser Cristão não é ficar decorando a bíblia inteira. Uma pessoa crente geralmente é fanática, e esse tipo de pessoa é alienada e ignorante.Acredito em Deus e isso independe ir em uma igreja! A minha filha é a maior prova dos milagres de Deus. Acredito na ciência, nos médicos que são seres instruídos por Deus para nos auxiliar. Tento ao máximo praticar boas ações todos os dias aceitando minhas falhas e melhorando o que posso mudar. Somos falhos, mas aprendemos muito com esses erros. Muitas atitudes nossas correspondem a ação e reação ou causa e efeito. Tudo que recebemos das pessoas nos provocam uma reação, ou seja - tudo que faz tem um retorno. 

Não podemos classificar os seres humanos como perfeitos e com defeito. Todos nós somos obras divinas, e não devemos jamais ser rotulados e nem aceitar isso. Pessoas que acham isso tem uma visão errada do que é ser humano. Hoje os padrões de ser feliz, de beleza são equivocados. A beleza pra mim é olhar pra minha filha e ver Deus nos olhinhos dela. A gratidão que tem por viver. O amor que temos no nosso lar. As dificuldades que já passamos e não desfazemos o elo. A forma que ela é feliz, mesmo algumas pessoas achando que por estar em uma cadeira de rodas lhe falta algo. Engano das pessoas acharem que por alguma limitação o outro ser inferior. O que nos aproxima da realidade de ser humano é exatamente as nossas dificuldades. Então, o que falta no mundo de uma forma geral é o respeito, é olhar para cada um como pessoa, e não olhar e analisar os defeitos e assim julgá-lo como isso ou aquilo. 

Há muito o que se aprender, eu aprendo a cada dia com tudo: Coisas negativas e positivas. Quando recebo uma ignorância, uma falta de visão, amadurecimento, eu encaro positivamente porque eu agradeço muito por ter a melhor visão da minha filha. Se nossa missão aqui na Terra é ser feliz mesmo com todas as dificuldades e tristezas que passamos, e todas as lutas, acredito que se enxergamos as coisas simples e tirar disso a nossa felicidade entenderemos o sentido de existir e de Deus na nossa vida. Se temos amor, saúde, união, cumplicidade, amizade, respeito, humanidade temos tudo.

Então, se alguém julga seu filho, ou alguém da sua família ou que você conhece por essa pessoa ter alguma dificuldade ou não andar, e acha que falta algo pra ele, acredite que falta à essa pessoa que encara ele dessa maneira. Tudo nos ensina. E se as pessoas não abrem a mente, não olham para todos como ser humano, é porque infelizmente ainda não aprenderam olhar para si mesmo. Muitos ainda só sabem olhar a vida dos outros e nunca aceitam olhar pra si mesmos. A pessoa acha que evangeliza, mas fazer isso é colocar palavras de conforto em seus lábios e não derrubar os outros. Não julgar, e sim amar! E isso anda cada vez mais difícil nesse mundo. As pessoas oferecem apenas aquilo que o coração está cheio. E ouso dizer que possuir amor para com o próximo é raridade. Vejo ainda em poucos, e isso me encanta e me faz a não desacreditar do ser humano por completo.

Cristão é aquele que encara o próximo como ser humano, e se solidariza com ele. São práticas. E não falatórios. 


 Adriana

15 de setembro de 2014

Abordagens Preconceituosas

Estava aqui trabalhando no meu computador em um documento que estou produzindo pro outro blog, quando de repente leio uma postagem de uma outra mãe.
Quando vi, um misto de sentimentos me tomaram. A mãe foi abordada por uma pessoa de forma preconceituosa em relação ao que ela pensava em relação ao seu filho. 
Temos nossos direitos perante a lei e algumas pessoas se esquecem que ao expressar erradamente uma opinião ela expõe o que é.
Expus à ela uma situação que passei uma vez e não foi apenas uma porque infelizmente as pessoas tem uma ideia errada sobre deficiência física. Algumas pessoas tem uma explicação dentro da sua crença e isso é responsabilidade de cada um. O que eu faço como mãe é ouvir os dizeres médicos, pesquisar, aprender, contestar e fazer tudo que deve ser feito.

Tenho pena de pessoas que acham certas coisas. Não só lá fora, mas já ouvi absurdos de pessoas da família se referindo a minha filha. Até outro dia, estava conversando com o meu esposo, e ele disse que nunca iria esquecer a forma que uma pessoa se referiu a Jaqueline pra outra pessoa:  - Ela é doentinha!

Uma vez estava no HC e uma pessoa crente se aproximou de mim. Percebi que era pelo cabelo enorme e pelas atitudes. Eu sempre respeitei as pessoas. Ela disse o seguinte: Sabia que quando a criança tem alguma deficiência ela pode ter um encosto maligno? Porque você não a leva na igreja? Olhei pra ela e disse: Se a minha filha tem um encosto como a senhora mesma diz deve ser um encosto muito bom, porque ela vive sorrindo. Ao contrário da senhora ela não julga e nem fala o que não sabe. Então cuide da sua vida e nem mil anos de igreja vai tirar esse encosto ruim que tem na sua língua. Ela saiu porque todo mundo começou a me aplaudir, revoltados com a atitude da fanática. Eu penso que as pessoas deveriam ficar de boca calada ou de dedo quieto. Infelizmente as pessoas deturpam o sentido do que é Deus e da religião. Se apegam a crenças preconceituosas e desrespeitosas. A gente não deve e nem pode deixar quieto e temos que procurar nossos direitos.

Algumas pessoas acham que a Pessoa por ter Deficiência isso deva ter uma explicação e uma solução. Mesmo que a pessoa melhore, ela sempre será considerada como tal devido as sequelas. Nunca será incapaz porque na minha opinião todos os seres humanos estão aqui por um propósito e independente do tipo de lesão, sendo mais grave ou não, é uma pessoa que vive e que tem sentimentos. Acima de tudo é uma PESSOA.

Respeito a Fé e as crenças humanas, porém minhas atitudes em relação à certo tipo de comportamento varia muito. Ou viro as costas, ou explico, ou dou um tapa com luva de pelica. Não me desgasto mais (apesar de isso mexer com nosso extinto de mãe protetora), mas penso que certo tipo de pessoa é mesmo infeliz por pensar de certa forma. Não vamos mudar o mundo nem as pessoas. A cada dia o ser humano está pior, mas me apego a coisas positivas que temos tido de boas pessoas. Quem sabe um dia a vida ensine alguma coisa a estas pessoas. O que devemos fazer? É tomar sempre algum tipo de atitude que seja cabível naquele momento e se não for possível e nem valer a pena a gente deve deixar mesmo pra lá. 

Lembrando que qualquer tipo de discriminação é crime!

Adriana.

O uso sábio do nosso tempo

Muitas vezes usamos o nosso tempo em coisas que não são necessárias. Por mais coisas que temos a fazer, nos apegamos ou nos viciamos em hábitos, coisas e pessoas de forma errada.
Quando nos damos conta de certos danos, percebemos quanto tempo precioso perdido jogamos fora!
Eu por exemplo estava há algum tempo em uma rotina que me sugava. 
Sempre dou um basta em coisas que começam a prejudicar minha vida. Hoje, lido melhor com isso. Então foi o que fiz: Dei um "Stop" em algumas coisas desagradáveis que fazem mal, ficavam rondando e roubando a minha vida.

A partir daí vi quem realmente eu era antes e voltei a ser. Agora livre dessas "assombrações" respiro mais aliviada e grata por perceber certas coisas. Por de fato encontrar a minha paz comigo mesma e com a minha família que está sempre comigo. Passo mais tempo com a minha filha, e vejo a felicidade estampada mais ainda no rostinho dela. Me dedicando a coisas que estavam paradas e assim ficavam porque eu usava o meu tempo com situações erradas.

Há coisas que temos que as pessoas jamais terão e nem saberão como é. A gente aprende a usar o nosso tempo pra ter uma felicidade real. A rotina pode ser diferente, mas voltar a passear e ficar o dia inteiro fora com nossa família não tem preço. Voltar a respirar novamente é muito bom depois de um estado de "gripe". O vírus todo saí e percebemos o quanto é valioso o nosso tempo. 

O tempo deve ser um ganho e não uma perda. A melhor coisa é a gente virar as costas pro tempo perdido, como se ele nunca tivesse existido, e sim ter aprendido que o daqui pra frente é o que importa. Tempo pra ser mulher real, pra ser mãe e esposa. Tempo que sugaram mas a tempo cortamos a sombra desnecessária do nosso caminho, que cortava a capacidade de viver a vida de verdade.

O que as pessoas pensam é de responsabilidade delas. Hoje em dia as pessoas perdem muito tempo pensando e tendo uma visão errada de tudo mesmo. Acham que sabem e não sabem nada. Não há equilíbrio nem amor ao próximo. Elas julgam mas não olham as suas loucuras.  

A gente percebe que deve deixar de visitar certos lugares poluídos e esquecer pessoas. Nos ocupar de quem precisa de nós, por exemplo ficar com nossos filhos que já precisam mais de nós do que a maioria das pessoas. Essas pessoas por algum acaso ajudam? Tenho certeza que não. Então não devemos mais nos deixar influenciar por ambientes que não nos favorecem.

Obstáculos? Todo mundo tem. Porém esses nos deixam mais fortes. Nada é mais importante do que a família, e certos enganos servem pra percebemos que temos tudo ao nosso lado. 

Adriana.

12 de setembro de 2014

Inteligência Especial

Resolvi fazer essa postagem pra falar da verdadeira Inteligência Especial. 
Muitas pessoas julgam pelo que veem e acham dessas pessoas. Acham que são limitados intelectualmente, que não pensam, não tem suas próprias opiniões e preferências. Mas elas se enganam! Independente do grau de comprometimento físico ou mental eles entendem cada um à sua maneira. Expressam de alguma maneira. Mesmo que as pessoas achem que não.

Possuem uma sensibilidade própria, peculiar... Ausente em muita gente por aí.
Mesmo com seus atrasos, há talentos escondidos que se revelam. Posso citar aqui alguns dons que a minha filha possui, e é comum na maioria das pessoas que conheço, é um estímulo que eleva-os. Adoram música e são capazes de aprender muito através dela. Se esforçam ao máximo para mostrarem suas capacidades, e percebem muitas coisas que acontecem ao seu redor. Muitas pessoas acreditam que eles não entendem. Podem até não entender com a mesma exatidão do que nós em alguns casos, porém eles sabem distinguir o certo do errado. Sabem identificar por entonação de voz, por expressão facial das pessoas e por pura sensibilidade. Em casos mais severos, não entendem o que se passa e precisam constantemente de atenção.

Muitos sequer se preocupam com nada ao seu redor, e acho que eles tem uma inteligência de viver magnífica! Se todas as pessoas vivessem despreocupadas com os outros e cuidasse mais de ser feliz o mundo seria muito diferente! 
Se todas as pessoas se permitissem conhecer os outros sem julgar pelo que pensam, acham, supõe, seriam pessoas mais ricas emocionalmente. Quando veem alguma pessoa especial já acham as piores coisas, e isso não é muito diferente do nosso mundo atual em suas relações humanas onde se perdeu o respeito pelo outro. Se as pessoas se permitissem entrar no mundo do outro encarando todos como pessoas que sentem, seriam não só humanas e sim seriam grandiosamente humanas! As trocas que podemos ter com essas pessoas raras de inteligência especial são enriquecedoras, surpreendentes. Elas renovam, dão novo olhar para a vida em todos os sentidos.

Acontece muito por aí aqueles olhares especuladores que intimidam nossos filhos. Aquelas frases prontas de conceitos e preconceitos que só revelam o quão é ignorante a forma de olhar para o próximo. Todos os dias recebemos bofetadas na cara da sociedade com a sua falta de sensibilidade e de educação. Ao mesmo tempo, não devemos nunca e em hipótese alguma rotulá-los. O que nos move é o sentimento de orgulho por tal inteligência que apesar de suas limitações são humanamente superiores a muitas pessoas que vemos sem consciência alguma de vida.

A Inteligência especial nos encanta com suas surpresas, com suas vozes. E essas deveriam ser respeitadas mais do que nunca. Porque é através deles que podemos ver e ter um mundo muito melhor. 

Adriana.

5 de setembro de 2014

Abordagens X Nossas Reações

Quando falam a seguinte frase sobre seu filho:
-Ele é doente né?
O que vc responde?
Se seu filho fosse especial o que você responderia?

Coloquei essa questão em questionamento e me identifiquei com a única resposta que tive de uma mãe querida no qual a filha assim como a minha tem uma Síndrome rara:

Thais Sugahara:  Depende muito de quem pergunta e qual a conotaçāo da pergunta. Minha reação varia da mais completa indiferença até a ira, passando pela explicação detalhada com muita paciência. Enfim, depende de como a pergunta é feita. 

Ou seja: A gente não deveria e nem deve se preocupar com o que responder às pessoas. No entanto nossa reação vai variar muito dependendo da forma que seremos abordados.

Não podemos controlar aproximações, questionamentos, pensamentos e ações das pessoas. Mas podemos fazer ou não alguma coisa. Podemos largar mão de se culpar pelo que as pessoas fazem e agir conforme podemos naquele momento. Se está correto ou não, a vida vai ensinando a gente que as opiniões das pessoas não devem interferir no modo que encaramos os nossos filhos. Porém temos responsabilidade de esclarecer quando for viável e valer a pena. Muitas vezes pessoas se aproximam com diferentes reações e olhares e elas são o que podem ser. Muitas são ignorantes de conhecimento, outras porque são ignorantes mesmo e só nós sabemos o que passamos.

Estaremos ou não preparados para algumas situações. Não temos que ter tudo sob controle o tempo inteiro. Ao mesmo tempo que certos tipos de acontecimentos nos aborrece ou não, outras pessoas tem abordagens boas, interações e olhares maravilhosos para com nossos filhos. Isso mostra uma identificação de valores, de entendimento, de coração. Muitas pessoas simplesmente nem sabem o que fazer, e nem saberiam o que fazer se passassem por isso. Há um problema muito interior de aceitação. E geralmente essas pessoas sofrem mais do que as outras porque não são capazes ou não conseguiram naquele momento ter uma amplitude em seu pensamento.

Eu mesma quando criança apesar de ter contato com crianças especiais e adolescentes não sabia ao certo o que eram algumas coisas, mas entendia que aquelas eram acima de tudo pessoas. Às vezes sentia dó, mas sentia profundo amor e respeito. Sempre quis ajudar. Isso se deve ao meu coração e aos valores que me foram passados. Apesar de desconhecer as causas de certas limitações eu entendia que o meu próximo era como eu: Com sentimentos acima de tudo.

Então, já ouvi de pais as mais variadas situações, onde alguns tem um padrão de comportamento diante das atitudes dos outros diante de seu filho, e assim como a Thaís varia de acordo com a situação. O que é o meu comportamento também. Muitas coisas até nos surpreendem, e apesar de algumas coisas nos incomodar momentaneamente ou não o que sempre pensamos e priorizamos é a alegria, bem-estar, felicidade e amor para com nossos filhos. Os cuidados que eles precisam ter, a nossa rotina, só nós entendemos e somos acima de qualquer coisa: Humanos! As pessoas se esquecem muitas vezes de ficarem de boca fechada. Então, hoje o pensamento de muitos é de responsabilidade deles. Algumas vezes podemos ajudar e ensinar, mas isso não depende só de nós, então a troca positiva de experiências vai depender de como o outro vai nos abordar.

Sinto que às vezes falta (e muito) sensibilidade e amor. Por outro lado como já falei vejo pessoas bondosas que valem a pena. No entanto jamais podemos nos deixar abater por tais comportamentos apesar ser impossível às vezes. Isso não deve nos comandar, porque a cada dia que passa infelizmente estamos em um mundo insensível e frio onde as pessoas só se preocupam com elas mesmas.

Um grande abraço,
Adriana

3 de setembro de 2014

Sentimento de Impotência

Nós pais sempre convivemos com sentimentos de impotência. Quem nunca se sentiu assim? Vendo um filho doente, sentindo dor e tudo que mais queríamos é que ele não sinta isso?
Dizem que a dor ensina, nos mostra que somos humanos e nos amadurece. Mas não pensamos assim quando é com nossos pequeninos não é mesmo?

Quando eu escrevo alguns temas aqui, específicos sobre o mundo especial, ao mesmo tempo todos que são pais vão se identificar com determinadas frases e textos. Só que sentir-se impotente faz parte da vida. Nos mostra que não podemos tudo apesar de muitas vezes querer ser super-heróis, mágicos que desaparecem com a dor nos pequenos.

Eu quando vejo qualquer criança passando por alguma doença, ou estando doente me sinto assim. Como gostaria de arrancar deles essa dor e passá-las pra mim! Mexe muito comigo. Ao mesmo tempo sou muito forte e trato essas pessoas normalmente, com meu carinho e amor. Acho que a gente precisa se colocar no lugar do outro, ter compaixão e fazer algo sempre que puder. Muitas vezes achamos que a dor do outro não é da nossa conta e nem nos pertence! Acho isso um engano. Se o próximo é meu semelhante a dor dele me importa.

Muitas vezes, durante esperas de consulta da minha filha conversei com várias mães e vendo o desânimo delas tentei dar o meu melhor. Uma palavra ajuda muito, um incentivo, uma positividade, um afeto com a criança, um simples oi, um brincar, um afago diminuem nosso sentimento de impotência porque diretamente estamos ajudando alguém mesmo que essa pessoa de começo não consiga ser ajudado com essas atitudes. Quando vemos outros casos, paramos de olhar só pro nosso umbigo e acharmos que tudo é difícil. Eu não considero difícil. A rotina sim é exaustiva, mas olho pra trás e vejo o quanto já passamos e estamos aqui.

Nunca poderemos evitar o estado de inércia diante de algum obstáculo, mas poderemos sempre após isso nos tornar uma pessoa melhor. Poderemos nos ver mais humanos e olhar mais para as dificuldades dos outros com maior respeito. Infelizmente nem todas as pessoas pensam e agem assim, mas eu faço a minha parte mesmo que pequena e a vida tem me devolvido coisas boas também. Às vezes passamos por alguma dificuldade e vem alguém que nem conhecemos e nos ajuda. E quantas vezes fizemos isso achando que ninguém faria por nós? Quantas vezes fizemos e nos questionamos que as pessoas não valorizam nossos atos? 

Nosso erro é esperar coisas em troca. Com o tempo aprendi a simplesmente fazer. E sempre em alguma situação eu recebo coisas que nem esperava. Pessoas sendo ajudadas com o mesmo propósito em que ajudamos. Isso é o mais interessante. Claro que atravessamos por pessoas ingratas da mesma forma em que já fomos ingratos. Mas nessa vida temos que aceitar as nossas imperfeições e as das pessoas também. Não é uma tarefa fácil, assim como sempre o sentimento de impotência vai existir e poderemos sempre usá-lo para crescer, ser forte, nos solidarizar, amar mais, se colocar no lugar do próximo. Sempre penso que Deus sempre sabe o que faz e nós atravessamos nossas dificuldades achando que estamos sozinhos, mas ELE caminha ao nosso lado, só que temos que fazer muitas coisas sozinhos pois uma criança só aprende andar sozinha, mesmo que com auxílio, o esforço maior vai sempre partir dela.

Um abraço fraterno,
Adriana