23 de julho de 2014

Carga Física e Carga Emocional


Qualquer pessoa que cuide de alguém dependente por limitações físicas enfrenta diariamente carga física e emocional.
Falo como mãe especial: Dedicamos a nossa vida à eles, sendo verdadeiras mãos e pernas que se movem, movendo-os para um canto e outro.
Claro, fazemos isso com total amor e dedicação. Mas esses movimentos repetidos no qual executamos todos os dias nos trazem limitações físicas tão grande ou piores também. Problemas posturais grandes. O tempo passa pra todos nós. Vamos percebendo que a agilidade vai diminuindo. Percebemos também que ficar muito tempo em uma posição só dá dor nas costas. E vamos perceber enfermidades aparecendo.

Eu sou um exemplo disso. Descobri que tenho alguns problemas nas pernas. Um comprometimento nas safenas e circulação ruim. Isso é hereditário. Depois percebi tendinite nos dois pulsos (que são evidentes com o aparecimento de um cisto em cada). Houve épocas que fiquei de cama. Quando procurei um médico ele me disse que além da vida que eu levava, tinha que me apegar nesses motivos que apareceram pra me cuidar, pois a tendência com o passar dos anos era piorar.

A solução? Exercício Físico e alimentação saudável saudável. Algumas restrições alimentares e eu conviveria numa boa com isso. Então pensei: Poxa, pernas e braços ruins? Como farei se sou as pernas e braços da minha filha em algumas tarefas?

Fora a carga física , há a carga emocional que desencadeia uma série de coisas em nós que jamais pensaríamos em viver. Convivo com várias mães e percebo que todas elas já passaram, passam ou vão passar o que todas nós já passamos. Doenças oportunistas, depressão, síndrome do pânico e por aí vai.

Tive contato cara a cara com a depressão e foi uma época muito difícil da minha vida. Tinha de cuidar de tudo, e não conseguia cuidar de mim. Depressão é uma doença que te corrói e te destrói. E a gente deve se policiar a todo momento. Aí juntei o útil ao agradável: A atividade física me ajuda não só na mente mas também no corpo. Com o a resistência física maior e a cabeça melhor, posso conviver com duas coisas que me atrapalham e descobrir um novo prazer.

Como nossa vida é sempre de altos e baixos parece que pra nós que somos mães especiais a coisa se potencializa de uma forma gigante. Percebi que cada pessoa se agarra naquilo que eleva e faz viver bem consigo e com sua família e principalmente seu filho. Temos responsabilidades maiores, temos cargas físicas e emocionais grandes e precisamos de uma "válvula de escape". Precisamos de um tempo para nós.

Se deixarmos que a Carga Física e a Carga Emocional nos anule o que será de nossos filhos?
Pense nisso. Se amamos nossos filhos, a nossa obrigação primordial é nos amar!

(Adriana)

Nenhum comentário:

Postar um comentário