21 de maio de 2014

O que anda acontecendo com as pessoas?

Eu ia escrever sobre esse assunto e venho adiando devido à correria, e precisava parar para fazê-lo. Lendo um texto de uma mãe querida, me concentrei em escrever e sempre relato nossas vivências. Sempre que saímos volto com alguma experiência. O lugar preferido da Jaqueline é o Shopping, e todo sábado lá estamos nós. Um em especial a atrai e respeitamos. Ela fica encantada com as luzes, com o movimento, com as lojas. Gosta do trajeto, de ver as ruas, o acelerar dos carros, da música tocando e principalmente: Que seja à noite. Assim, ela observa melhor por incrível que pareça, pois na luz do dia ela não aproveita tanto por ter fotofobia (Sensibilidade à luz).

O que sempre se repete, é a falta de educação das pessoas. Nossa como pode? O que anda acontecendo com as pessoas? Aliás, nem acho que esteja acontecendo algo, acho que elas são assim mesmo. Estava eu em uma loja, vendo as coisas, passeando com a Jaque enquanto meu marido estava em outro local. O que se repetia era essa cena: Pessoas esbarrando na gente, o tempo todo, e a gente tendo que dar licença pra elas passarem. Oi? Eu tenho plena consciência de que não é porque ela é cadeirante que vou ser folgada e achar que todo mundo deva mudar. Mas espera aí: O que custa? É uma total falta de educação. Um caso em particular me deixou estarrecida.

Estávamos em um corredor, eu procuro sempre deixar um espaço livre porque ao contrário de algumas pessoas eu penso nelas. Uma senhora apareceu do nada, só faltou passar com a as roupas do cabide na cara da minha filha, ou empurrar a cadeira, e passou. Falei ei! Poderia ter dado a volta, mas a pressa da cidadã nos deixou invisíveis. Fiquei parada com um ponto de interrogação na cabeça. Existem algumas pessoas que sorriem, acham a Jaque bonitinha, que brincam com ela, que são educadas. Mas essas coisas que presenciamos é pra acabar!

Se eu fosse uma pessoa grossa, pegaria a tal mulher pelo colarinho e diria: Ei a senhora não está nos vendo não e daria uns belos sopapos. Mas como não sou disso, e não ia correr atrás dela, pois foi tudo muito rápido, deixei pra lá e fiquei chateada e saí da loja. Sentei em um banco querendo ir embora, e meu marido chegou. Ele vendo minha cara perguntou o que tinha ocorrido. Falei que era a falta de educação das pessoas. Eu não vou deixar de sair com a minha filha por causa disso. Por mais que haja informação as pessoas são mal educadas e pronto. E não mudam.

Conversamos a respeito. O que falamos foi mais ou menos assim: A vida nos ensinou coisas que essas pessoas jamais saberão. Estamos aqui sorrindo, e essas pessoas? O que elas aprendem quando veem a Jaque? Algumas nada. Outras refletem sobre a felicidade estar nas coisas mais simples, e do quanto ela é feliz não importa que esteja sentada. Valores são coisas que definem um caráter e caráter é algo que pessoa de valor tem. Será que um dia aprenderão? Não sei. O que sei é que ninguém sabe o dia de amanhã. Eu não sei o que anda acontecendo com as pessoas. E jamais quero me igualar a elas! Mas se eu puder dar um “beliscão” assim farei. Falta tempo? Pode ser, todo mundo vive correndo. Mas respeito não pode faltar. Se elas não tem, precisamos avisar. A diferença é que passamos por coisas sorrindo e algumas vivem de cara feia. Falta amor nesse mundo literalmente!



(Adriana  - 20/04/2013)

Nenhum comentário:

Postar um comentário